fbpx
Fortaleza-CE - Brasília-DF
(85) 30219007 / (61) 3215-5367
dep.heitorfreire@​camara.leg.br

Direitos civis não são para todos?

Direitos civis não são para todos?

A guerra política-ideológica mundial não é recente. Nesse cenário, infelizmente, a direita vem falhando quando acha que “apenas” o trabalho basta para se mostrar perene e eficaz. Isso é pouco, chega a ser ingênuo.

Assistimos calados a um domínio na construção das narrativas e dos embates. Acompanhamos o declínio de nações onde governos de esquerda vem disfarçando ações catastróficas como “progresso”: Uruguai, Venezuela, Cuba, Chile e Argentina são exemplos fáceis para se observar.

Eu vou dar um exemplo de como estamos nos rendendo a essa agenda incentivada sorrateiramente por instituições como a OMS e a indústria farmacêutica: o tratamento oferecido pelo Estado para os não vacinados e para os dependentes químicos de drogas pesadas como o crack e outras. Um adendo importante: eu sou vacinado com três doses e minha família também. Foi uma escolha nossa.

Diante disso, volto aos viciados: esse público está muito mais amparado pelo Estado do que aqueles que escolheram não se vacinar. Aos dependentes não foi vedado o direito de ir e vir, entrar e sair de ambientes diversos, não está sendo cogitado que essas pessoas possam ou não votar nas próximas eleições.

Mesmo a internação compulsória aprovada em 2019 ainda é alvo de muita discussão por acharem uma medida agressiva e que não respeita a vontade do indivíduo. Para eles, são incentivadas iniciativas de empregabilidade e outros benefícios. Não há discórdia se precisam ou não de amparo do Estado.

Por outro lado, o cidadão pagador dos seus impostos que optou por não tomar uma vacina que sequer faz parte do rol de imunizantes obrigatórios do Ministério da Saúde, está sofrendo a ação retaliativa dos órgãos de governo, toda hora com uma medida restritiva travestida de “bem comum para a sociedade”. Até o cúmulo de lhe estar sendo negado o atendimento médico, quer seja de emergência ou eletivo.

Os “Direitos humanos” não valem para todos os humanos? Sim, inclusive os das pessoas que optaram por não se inocular. Fora isso é só mais uma tentativa de cerceamento do principal direito constitucional: a liberdade.

A guerra ideológica está aí. Estamos sucumbindo a uma agenda totalitária e tirana que engradece o Estado e massacra o cidadão. Enquanto a direita aceitar calada, sem se impor, muito pouco ou quase nada vai mudar. Eu sempre estarei do lado da liberdade.

Please follow and like us:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Gostaria de receber nossos informativos?Você vai ficar por dentro de tudo que acontece em nosso mandato!

Se preferir também, entre em nossa lista de transmissão!